O mundo encantado do Hospital – Por Dra. Abelhuda

Estavam as Dras. Neneca Ling Ling e Abelhuda terminando sua visita no andar infantil quando, de repente surge no corredor nada menos que: UMA PRINCESA. Princesa de verdade, com direito a carruagem!

O vestido era de cetim cor de rosa e a carruagem  até lembrava uma cadeira de rodas, mas não para nós. A princesa é a Maria Cecília, no auge dos seus três aninhos. Não podíamos perder a oportunidade de acompanhar uma princesa  até o seu castelo (tem quem diga que era um quarto hospitalar, mas não pra nós).

A enfermeira, que nesse momento já era assistente de princesa, colocou ela na sua cama encantada, onde ficou sentadinha. Ela ainda não sabia quem eram aquelas Doutoras Besteirologistas, mas nós já éramos suas súditas. Os pezinhos e dedinhos, delicados como de costume para uma princesa, conversavam e interagiam entre si. Ela estava um pouco tímida, mas tranquila. Seus pais, rei e rainha, estavam muito felizes. Para eles, todo aquele momento já era real, tudo havia dado certo na cirurgia e agora a princesa estava no castelo.

Não sabíamos, mas a princesa Maria Cecília adorava bolhas de sabão. Nós, claro, atendemos ao seu desejo. Ela estourava com as mãos, pés, nariz… O castelo já estava cheio de luz e felicidade. A mãe, rainha, ria e chorava ao mesmo tempo. O pai, rei, já tinha virado fotógrafo registrando todos os momentos. Para nós, súditas, a despedida foi flutuando, energizadas e felizes.

Que momento em um castelo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *